sábado, 26 de dezembro de 2009

momento

estou ao pé do fogo e ouço-o crepitar
há um calor que me agarra por dentro
e dá-me colo esta luz lenta
este conforto interior a me embalar.
os teus olhos brilham semi-cerrados
tão perto dos meus
e são nossas as mãos que se tocam à distância
preservadas do frio solitário.
e tudo o que nos separa se derrete em música e em silêncio.
das palavras gastas abdico
e fico-me em poesia sentada
a perna dobrada
a boca calada
eternizando o momento.

2 comentários:

  1. Vez?
    Não custa nada!
    Basta ir escrevendo
    A pele é que eu não deixo...!
    Bjs

    ResponderEliminar